Gestão coordenada: um desafio ao esporte de alto rendimento no Brasil

Nem falta de investimento nem falta de talento: o principal problema do esporte de alto rendimento no Brasil está na gestão. A docente Flávia da Cunha Bastos passou os últimos oito anos pesquisando programas e políticas do esporte, considerando os níveis municipal, estadual e nacional. A partir de seus estudos, a professora relata uma ação descoordenada entre as instâncias superiores nacionais e locais, como comitês, clubes e confederações. Além disso, os enfoques das políticas não são os mesmos, a opinião dos atletas é relegada ao segundo plano e não há uma linha clara de interação entre os diferentes órgãos.

O estudo foi realizado dentro do projeto SPLISS (Sports Policies Leading to Sporting Success), gerenciado no Brasil pela Profa. Dra. Maria Tereza Silveira Böhme e com coordenação geral da pesquisadora Veerle De Bosscher (Vrije Universiteit Brussel). O objetivo do projeto é compreender e ampliar os conhecimentos sobre políticas que levam ao sucesso em competições internacionais. O trabalho reuniu pesquisadores de 15 países. Na USP, o estudo é realizado desde 2009 pelos grupos de pesquisa em Esporte e Treinamento Infantojuvenil (GEPETIJ) e em Gestão do Esporte (GEPAE).

As pesquisas do SPLISS utilizam um modelo de análise baseado em nove pilares que determinam as eficiências das políticas para o esporte (saiba mais). Flávia atuou especificamente em dois pilares, ambos relacionados à gestão: o pilar do suporte financeiro e o da organização e estrutura dessas políticas. Por meio do levantamento de dados e aplicação de formulários a técnicos, dirigentes e atletas, Flávia e outros pesquisadores do projeto buscaram compreender a estrutura das entidades que desenvolvem o esporte hoje no Brasil e como se inter-relacionam – ou não.

A gestão esportiva precária da maioria dessas entidades passa por diversos fatores. Um deles sendo a falta de uma definição clara de funções – ou seja, não há uma delimitação sobre qual instância é competente por qual aspecto, seja iniciação esportiva, lazer esportivo ou esporte de alto rendimento, por exemplo. Além disso, há uma falta de política de longo prazo e as ações dependem dos objetivos de cada ciclo político. “A política do esporte fica à mercê dos entendimentos e interesses de cada governo. Cada um faz sua leitura e tenta estabelecer algumas ações, mas não uma política consistente”, explica a docente.

A falta de consistência em uma diretriz do esporte no Brasil leva a uma estagnação da situação no país nesta área. Tanto que os dados do SPLISS foram coletados em 2011-2012, mas os resultados são ainda aplicáveis na atualidade. Mesmo após a realização de megaeventos como a Copa do Mundo, em 2014, e os Jogos Olímpicos, em 2016, não houve uma melhora porque não existiu um grande projeto de desenvolvimento visando ao legado esportivo. A professora cita como exemplo a degradação das instalações esportivas olímpicas e sua ocupação precária.

Se o problema da gestão do esporte no Brasil tem dimensões nacionais e olímpicas, o panorama não é diferente no universo dos clubes e organizações esportivas. Uma das orientandas de Doutorado da professora, Cacilda Mendes dos Santos Amaral, estuda modelos de gestão das instalações esportivas dessas organizações. Por meio da aplicação de questionários a gestores, observou-se que, muitas vezes, não havia sequer uma pessoa designada a gerir as instalações esportivas e garantir o funcionamento seguro e adequado dos equipamentos e espaços. Do ponto de vista da gestão do esporte, isso é preocupante porque “as instalações são essenciais para a política de democratização de acesso para dentro das organizações dos clubes”, diz a docente.

Ainda analisando as organizações locais, mas sob um ponto de vista mais restrito, a mestranda pela EEFE Silvia Gonçalves Mariano, orientada por Flávia, aborda o conceito das dimensões de qualidade sob o ponto de vista dos diversos atores em um programa de atividade física, buscando responder à questão: os fatores importantes para o gestor são os mesmos para o instrutor e para o usuário final (o cliente)? Analisando aspectos como limpeza, instalações, segurança, entre outros, procurou verificar as dimensões da qualidade valorizadas pelos três grupos simultaneamente e qual a visão particular de cada grupo. Ter o conhecimento  das diferenças de valores é essencial para que o gestor possa realizar uma administração mais eficiente.

A própria docente começou a se interessar pela área ao atuar em uma função que pode passar despercebida na gestão de uma grande instituição: a organização de horários de aulas. Como aluna de graduação na EEFE (ela se formou em 1977), Flávia auxiliava voluntariamente o Serviço de Graduação nessa tarefa. A ajuda se transformou em sua vocação e, após trabalhar por longos anos tanto na iniciativa privada quanto no setor público, ela teve oportunidade de voltar à Escola como docente para aplicar na academia seus conhecimentos da prática e da teoria.

Da catalogação de documentos em um clube à organização de megaeventos, a docente lembra que o acesso ao esporte é um direito constitucional que para ser cumprido depende de diretrizes claras e de ser alocado com maior prioridade nas pautas políticas. “Não é um tema que usualmente se enxerga pelo viés da saúde – o que seria o caso em um país com tantos problemas de saúde pública. O Brasil poderia ser uma potência olímpica se conseguisse prover uma boa Educação Física para o Ensino Básico, pois mesmo sem essa estrutura alguns talentos já conseguem despontar”, opina a pesquisadora.


Saiba mais:

Currículo Lattes de Flávia da Cunha Bastos

Contato

Veja também:

Estudo traça perfil de gestores de clubes socioesportivos da cidade de São Paulo

Prêmio é batizado em homenagem a docente da EEFE

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s